Escola Livre de Artes promove atividades na zona rural de Orós

0
119

Com o objetivo de apresentar melhorias para comunidade através da arte como instrumento de socialização, a ONG Realeza Nordestina e o Grupo Imagens de Teatro lançaram em Orós o projeto da Escola Livre de Artes (ELA), com apoio da sociedade.

A programação inclui atividades culturais na sede da cidade de Orós e nos distritos (Guassussê, Santarém, Igarói e Palestina).

As ações são desenvolvidas semanalmente com oficinas de teatro, dança, cinema e outras linguagens artísticas. Não existe uma taxa de inscrição para fazer as aulas. Basta ter disposição e comparecer. Os espaços para realização das oficinas funcionam nas casas dos moradores, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais e nas ruas.

Ocupação 

Temos como meta ocuparmos as ruas das comunidades. Levar arte para os lugares mais inóspitos e alternativos. Todos os professores são voluntariados. O grande salário é intercâmbio com artistas. Temos professores com currículo de peso como o Narcélio Grud , realizador do Festival internacional de Arte Urbana do Concreto, o professor Claúdio Ivo com formação no Teatro Bolshoi, Airan Cândido, artesã do distrito de Santarém.

“É um projeto de ocupação e apropriação dos espaços públicos que envolve o turismo cultural, e acima de tudo, economia criativa, pois o comércio local será beneficiado com abrangência do projeto com geração de renda”, frisou o idealizador do projeto, Édson Cândido. “Acreditamos na força de mudança social através da arte no sentido de ocupar os diversos adolescentes vítimas da exclusão social por escassez de políticas públicas”.

Atividades 

As atividades iniciaram-se no dia 3 passado com primeira ação de fortalecimento do patrimônio imaterial. Foi realizada uma visita guiada com os antigos moradores da “Conceição do Buraco”. Por conta do duro período de estiagem no estado do Ceará, aos poucos ruínas do vilarejo estão surgindo. Os frutos dessa ação serão um documentário com estreia prevista para dia 8 de Julho.

Também os moradores e alguns líderes comunitários de Guassussê estão em processo de pesquisa para catalogar o material ainda existente das casas dos moradores. Em continuidade será alugado um prédio para abertura de um museu alusivo aos moradores resistentes e vítimas da submersa, ainda, Vila da Conceição do Buraco.

Recentemente houve oficinas de Teatro Ritual com o professor, Abmael Henrique, em Guassussê, oficina de fotografia no Igarói e Arte Urbana no distrito de Santarém sob orientação do coletivo Cérebro da cidade de Iguatu.

Segue continuidade da programação de Janeiro

Prática de Conjunto Vocal

Ministrado: Bruno Kaos (Icó CE)

Dia: 13 – Sábado

Horário: das 08h às 17h

Vagas: livre

Local: Memorial Joaquim Cândido – Santarém

História da Arte

Ministrado: Antônio Jorge (Santarém – Orós CE)

Dia: 14 – Domingo

Horários: das 14h às 17h

Vagas: Livre

Local: Casa do Antônio Jorge – Santarém

Dança Popular

Ministrado: Sudaílson Kennedy (Grupo Garajal – Fortaleza CE )

Dias: 27 e 28 – Sábado e Domingo

Horário: das 8 às 17h e das 8h às 12h

Vagas: livre

Local: ONG Realeza Nordestina – Santarém

Realeza nordestina 

O Centro de preservação da história e cultura popular Realeza Nordestina foi fundado no ano de 2010, com a finalidade de promover a valorização e desenvolvimento da cidadania através da cultura, da assistência social, da educação, saúde, iniciação profissional e atividades socioeducativas para crianças, adolescentes, jovens e adultos. Desta forma buscando a promoção e o desenvolvimento social da comunidade com projetos nas áreas culturais e nas mais diversas expressões e linguagens culturais.

Repertórios

2010 – Asa Branca Vem Canta e Encanta 50 Anos de Santarém.A50 anos de San

2011- Asa Branca Vem Canta e Encanta o Nordeste Brasileiro.

2012 – Asa Branca Vem Canta e Encanta 100 Anos do Rei do Baião.

2013 – Asa Branca Vem Canta e Encanta os Vaqueiros do Sertão.

2014 – Asa Branca Vem Canta e Encanta as águas do Orós

2017 – Musical “O Quinze”

GRUPO IMAGENS DE TEATRO

Teve sua origem em janeiro de 2001, com o estudo para montagem do espetáculo “Imagens”, de Benedito Rodrigues Pinto.

O diretor Edson Cândido já havia montado um espetáculo do mesmo autor, “Meia-Sola”, no Estado de São Paulo e, a partir dessa segunda experiência, enveredou pela linha de montagem realista de autores ditos “malditos”.

Desde aquelas primeiras experiências até hoje, o Imagens de Teatro vem acumulando uma bagagem de quase quinze anos de pesquisa, montagem e apresentação de espetáculos, adaptando-se, nessa trajetória, aos mais diversos espaços, desde palcos tradicionais a galpões, bares e ambientes bem alternativos, disseminando a cultura teatral e formando plateia em todo o país.

Como reconhecimento pelo trabalho realizado, o Imagens de Teatro já foi vencedor do Prêmio Myriam Muniz/FUNARTE, em 2009, com o projeto “Plínio Marcos – Trilogia: Abajur Lilás, Navalha na Carne e Barrela” e em 2014, com o projeto “Grupo Imagens 13 anos – Indo onde o povo está”, já tendo acumulado, ao longo de sua carreira, 06 prêmios de melhor espetáculo, 09 prêmios de melhor direção, 11 prêmio de melhor atriz, 05 prêmios de melhor atriz coadjuvante, 02 prêmios de melhor ator, 04 prêmios de melhor ator coadjuvante, 04 placas de homenagem, 01 prêmio de melhor iluminação, 01 prêmio de melhor sonoplastia, 02 prêmios de melhor cenografia, 02 prêmios de melhor maquiagem e um prêmio de melhor caracterização.

 

Fonte: Diário do Nordeste