Jair Bolsonaro é condenado a pagar R$ 50 mil por declaração contra quilombolas, diz colunista

0
61
Brasília - O deputado Jair Bolsonaro durante promulgação da Emenda Constitucional 77, que permite médicos militares trabalharem no SUS (Antonio Cruz/Agência Brasil)

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi condenado a pagar R$ 50.000 por danos morais na ação do Ministério Público Federal sob setença da juíza Frana Elizabeth Mendes, da 26ª Vara Federal do Rio de Janeiro, pela declaração sobre os quilombolas, em abril, onde o deputado afirmou “que não servem nem para procriar”. As informações são da coluna de Ancelmo Gois, do O Globo.

A denúncia foi feita em abril deste ano quando integrantes do movimento negro quilombolas protocolaram, junto à Procuradoria Geral da República (PGR), a acusação contra Bolsonaro por “prática de rascismo e violação da dignidade indígena e quilombola” após o deputado deferir afirmações negativas contra o movimento em uma palestra no Rio de Janeiro. “Eu fui num quilombo. O afodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem pra procriador ele serve mais”, disse Bolsonaro.

Em agosto também deste ano, Bolsonaro foi condenado a pagar R$ 10 mil de indenização por danos morais à deputada Maria do Rosário (PT-RS) em decisão da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) por declarar na Câmara e em entrevista a um jornal que Maria do Rosário não mereceria ser estuprada pois era “muito feia” e que a mesma não fazia seu tipo”.

Fonte: O POVO